Ametropias

MIOPIA
Miopia é um estado refractivo no qual, o sistema óptico produz imagens sobre planos à frente da retina correspondentes a objectos situados para lá do ponto remoto.
A acomodação não ajuda a focar as imagens de longe, pelo que essas mesmas imagens ficam sempre desfocadas, enquanto as de perto são sempre mais nítidas e sem necessidade de se usar acomodação.
A miopia pode estar relacionada com um eixo antero-posterior demasiado longo, uma córnea demasiado curva, um poder dióptrico dos meios demasiado alto, ou um cristalino deslocado para a frente.
Em termos simples, acaba por ser um olho com demasiada potência que não consegue relaxar e ajustar a visão para o longe.

diagram-myopia.jpg

Caixa de texto:

Grau de miopia:

  • Muito baixa: até -1,00D;
  • Baixa: de -1,25D até -3,00D;
  • Média: de -3,25D até -6,00D;
  • Alta: de -6,25D até -10,00D;
  • Muito alta: maior que -10,00D.



Sintomas e sinais da miopia

Sintomas:

  • Visão desfocada para longe;
  • Astenopia (pouco frequente);
  • Dores de Cabeça (pouco frequente);

Nota: Quando a miopia é baixa e o paciente é jovem, não é frequente queixar-se de má visão, apenas porque nunca experimentou melhor.
A astenopia e as dores de cabeça aparecem especialmente quando, associado à miopia, aparece um astigmatismo.

Sinais

  • Olhos semi-cerrados;
  • Midríase;
  • Olhos grandes e exoftalmia (sobretudo nas miopias muito elevadas, com aplanamento da esclera periférica);
  • Exoforia;


Considerações importantes para a prescrição

A neutralização da miopia tem como objectivos o melhoramento da acuidade visual e evitar a progressão da miopia. Para isso podemos recorrer a vários métodos de intervenção:

Intervenção óptica:

  • Com óculos
  • Com lentes de contacto
    • Convencionais
    • Ortoqueratologia – técnica de correcção da miopia onde se adaptam lentes de contacto RPG de geometria invertida para aplanar a córnea de modo controlado. As lentes RPG convencionais com adaptação plana também o fazem.

 

Pseudomiopia

  • Tem origem no espasmo tónico da acomodação, provocando uma redução da acuidade visual em visão de longe
  • Aparece com frequência em estudantes entre os 14 e 22 anos;
  • Não se deve prescrever lentes negativas, mas sim, lentes positivas para relaxar a acomodação;
  • Realiza-se terapia visual.

 

Miopia nocturna

  • A Acuidade Visual reduz com baixa iluminação (noite);
  • Prescrever lentes negativas para a noite;
  • Causas:
  • Aberrações esféricas produzidas pelo aumento do diâmetro pupilar;
  • Obliquidade;
  • Aberrações cromáticas;


ASTIGMATISMO

O astigmatismo é uma condição refractiva em que existe uma potência dióptrica diferente nos vários meridianos oculares. Destacam-se dois meridianos principais que correspondem aos de maior e menor potência, que dão origem a duas focais localizadas em pontos distintos sobre o eixo visual principal. O que leva a que a formação das imagens visuais se foquem melhor numas direcções do que noutras. 

diagram-astigmatism.jpg

O astigmatismo pode ter como causas:

  • Diferença de curvatura das superfícies refractivas do meio ocular;
  • Corneal:
  • Face anterior: directo, congénito e de quantidade variável.
  • Face posterior: inverso e de pequeno grau;
  • Patologias (queratocone) e lesões;
  • Cristalino:
  • Diferentes curvaturas;
  • Diferentes índices de refracção;
  • Patologias: lenticone, luxação e subluxação.


Classificação segundo o montante de astigmatismo:

  • Astigmatismo baixo: até cerca de 1,00D;
  • Astigmatismo elevado: mais de 1,00D;

 

 Sintomas e sinais do Astigmatismo:

  • Os Astigmatismos Baixos (<1,00D) provocam mais sintomas, principalmente se hipermetrópicos e /ou inversos:
    • Astenopia
    • Dores de Cabeça (especialmente frontais e temporais)
  •  Os Astigmatismos Altos (>1,00D) não provocam tantos sintomas, sendo a queixa mais frequente a visão desfocada.


Como as focais ficam bastante afastadas, não há possibilidade de melhorar a imagem final recorrendo à acomodação, o que leva a que não seja frequente encontrar sintomas de astenopia.

Os sinais mais frequentes são:

  • Imagens desfocadas e distorcidas que levam a diminuição da Acuidade Visual.
  • Inclinação e rotação da cabeça;
  • Aproximação excessiva de trabalho de visão de perto.

Caixa de texto:    Caso alguma destas linhas lhe apareça mais carregada do que as restantes, recomenda-se  um exame optométrico, para uma possível despistagem

NOTA: Com a correcção do astigmatismo podemos deparar-nos com queixa de astenopia ou dores de cabeça, uma vez que o astigmatismo residual passa a estimular a acomodação.
O paciente portador de astigmatismo elevado, frequentemente, não consegue uma acuidade visual normal, porque o astigmatismo não compensado durante anos, pode conduzir a situações de ambliopia.


Considerações importantes para a prescrição

  • A neutralização está relacionada com a sintomatologia e a redução da Acuidade Visual. Se o paciente que possui um astigmatismo baixo não tiver sintomas, nem a prescrição cilíndrica afectar a acuidade visual, podemos apenas prescrever a parte esférica. Mesmo que a Acuidade Visual não sofra alterações, deve-se prescrever o cilindro na presença de sintomas.
  • Como a neutralização do astigmatismo induz uma distorção espacial desconhecida para o paciente, tem que se ter em conta que poderá levar algum tempo a adaptar-se. Como esta distorção varia de acordo com os eixos do astigmatismo, a prescrição pode ser melhor ou pior tolerada:
  • Se ambos os eixos estão a 90º ou a 180º, a tolerância é muito boa;
  • Se os eixos são simétricos ou um está a 90º e o outro a 180º, a tolerância é boa;
  • Se os eixos são oblíquos não simétricos ou paralelos, a tolerância é muito fraca.


HIPERMETROPIA

O olho hipermétrope é um olho que dispõe de menor poder refractivo do que deveria, pelo que as imagens dos objectos situados no infinito focam atrás da retina.
O hipermétrope acomoda para compensar a falta de potência.
 

diagram-hyperopia.jpg


Sintomas e sinais

A maioria dos sintomas está relacionada com a necessidade do uso constante da acomodação para permitir a visão de longe, e mais ainda, para a visão de perto e com o grau de ametropia, idade, as posturas e o tipo de trabalho realizado.


Sintomas:

  • Dor de cabeça frontal e occipital;
  • Astenopia ocular;
  • Possível redução da acuidade visual;
  • Visão desfocada contínua (se a acomodação não for suficiente);
  • Visão desfocada intermitente em pré-presbitas, ou jovens com inflexibilidade acomodativa;
  • Sensação de coceira nos olhos;
  • Fotofobia;
  • Visão nocturna desfocada (provavelmente devida à relação da acomodação e da função pupilar);
  • Flexibilidade Acomodativa reduzida se a hipermetropia for elevada ou latente;
  • Sensação de “cruzamento” dos olhos.

eyephone2.jpg


Sinais:

  • Olhos pequenos e endoftálmicos;
  • Hiperemia conjuntival e blefarite escamosa;
  • Endodesvios (estrabismo convergente);
  • Sobrancelhas franzidas;
  • Lacrimejo durante a fixação prolongada;
  • Miose;



PRESBIOPIA

Condição refractiva imposta pela ausência de acomodação. Entenda-se por acomodação, a capacidade do olho em focar a distancias mais próximas através de uma lente interna (Cristalino). Esta mesma lente, por ter um “prazo de validade” vai perdendo grande parte da sua elasticidade e consequentemente deteriora a visão de perto.
Manifesta-se a partir dos 40 anos e traduz-se na alteração da posição de conforto em tarefas de perto.
 

diagram-presbyopia.jpg

Sinais e Sintomas:

  • Visão desfocada para o perto
  • Afastamento da distancia de trabalho para visão próxima
  • Dores de cabeça
  • Sensação de olhos (pálpebras) pesados

 





Home  |   Visual Center  |   Serviços  |   Produtos  |   Conselhos Úteis  |   Contactos
VisualCenter® 2011 Todos os direitos reservados